O Núcleo de Acolhimento e Apoio ao Estudante – NAAE é o responsável pela gestão do Programa de Acolhimento e Permanência do aluno do IMEPAC, tendo como objetivo principal promover as condições adequadas para seu ingresso, permanência e sucesso no Ensino Superior.

O NAAE exerce a função de “interlocutor institucional”, fornecendo os recursos necessários para o atendimento de demandas dos alunos de todos os cursos, buscando compreender as suas necessidades de maneira sistêmica e encaminhando-os para os diversos serviços de apoio oferecidos pela instituição.

Para o alcance desses objetivos, o NAAE conta com o apoio de setores e profissionais que se unem para promover um ambiente inclusivo, de respeito as diferenças e de acolhimento, favorecendo o desenvolvimento de todo o potencial dos nossos alunos.

São ações de apoio ao aluno no IMEPAC:

A promoção da acessibilidade e inclusão dos estudantes com deficiência e/ou necessidades educacionais especiais, incluindo aqueles com TEA, tanto nas atividades de ensino, investigação científica, extensão, quanto nos serviços e infraestrutura, possibilitando as condições adequadas para o seu acesso, permanência e sucesso no processo de construção de seu conhecimento no ensino superior é implementada pelo Núcleo de Acessibilidade e Atendimento Psicopedagógico – NAAP.

Muito além do cumprimento das determinações legais, o IMEPAC reconhece a importância da acessibilidade para a inclusão social da pessoa com deficiência e busca, com essa política, derrubar os muros do preconceito com ações transformadoras, alicerçadas no reconhecimento do direito constitucional de todos à educação e das diferenças e pluralidade de formas na busca pelo conhecimento, reduzindo assim as barreiras comunicacionais,  metodológicas, digitais, instrumentais, atitudinais e arquitetônicas, na busca por uma formação de excelência para todos.

A promoção da Acessibilidade no IMEPAC tem como finalidades:

  1. promover as condições de acessibilidade e inclusão para estudantes e colaboradores com deficiência e/ou necessidades educacionais especiais, incluindo aqueles com Transtorno do Espectro Autista, assegurando-lhes o direito à educação plena e ao trabalho, reduzindo as barreiras comunicacionais, informacionais, atitudinais, curriculares e arquitetônicas, na busca por uma formação de excelência para todos.
  2. propiciar às pessoas com deficiência e/ou necessidades educacionais especiais, acesso a recursos didáticos apropriados e apoio para o desenvolvimento das atividades acadêmicas e profissionais;

III.         oferecer condições de acesso aos alunos com deficiência e/ou necessidades educacionais especiais às informações por meio de intérprete de LIBRAS, texto em Braille, áudio descrição, softwares acessíveis e textos ampliados;

  1. proporcionar recursos pedagógicos, metodológicos e tecnológicos alternativos, na perspectiva da educação inclusiva;
  2. garantir a formação continuada para os professores e funcionários envolvidos no atendimento às pessoas com necessidades educacionais especiais;
  3. manter profissionais habilitados para a oferta da unidade curricular de LIBRAS;

VII.       estimular o desenvolvimento de projetos de ensino, iniciação científica, extensão, e apoiar a realização de eventos voltados para a inclusão social;

VIII.      promover a acessibilidade metodológica, comunicacional, digital, atitudinal, instrumental e arquitetônica para as pessoas com deficiência, por meio de ações efetivas; e

  1. garantir a acessibilidade das pessoas com transtorno do espectro autista, conforme o que estabelece a Lei 12.764/2012; realizar as adequações necessárias na infraestrutura do prédio com vistas a eliminar barreiras arquitetônicas.

Com foco no alcance dessas finalidades, a instituição desenvolve diversas ações envolvendo toda a comunidade acadêmica e conta com Plano Institucional de Garantia da Acessibilidade, aprovado pelo órgão máximo de deliberação e a disposição na instituição.

O IMEPAC Araguari conta com um Programa Institucional de Nivelamento – PIN com o objetivo de oferecer ao acadêmico com dificuldades em acompanhar determinados componentes curriculares, as condições adequadas para a superação de suas dificuldades, especialmente no início do curso, permitindo que ele acompanhe o processo ensino-aprendizagem em sua plenitude.

A realidade atual leva ao ensino superior um contingente de alunos com déficit do Ensino Médio ou equivalente, o que cria dificuldades acentuadas para os professores em seu desempenho docente e, mais grave ainda, leva os alunos com maior nível de dificuldades ao desestímulo, à insuficiência de aprendizagem e até à desistência do curso.

Foi pensando nessa realidade que se elaborou o programa PIN, dentro de uma política institucional que visa a elevar a qualidade do desempenho de todos os alunos, em especial dos discentes que cursam os períodos iniciais. O trabalho do nivelamento envolve um conjunto de atividades por meio das quais o aluno amplia sua carga horária e aperfeiçoa o seu desempenho. O trabalho inicia-se com uma avaliação em sala de aula, feita por todos os professores que atuam nos componentes curriculares do primeiro ano. Os alunos são selecionados pelo grau das dificuldades que apresentam. O Programa Institucional de Nivelamento – PIN tem como objetivos:

  1. Reduzir problemas como a evasão ou reprovação do aluno já nos primeiros períodos do curso, ensejando, primeiramente, a adoção de métodos pedagógicos que permitam a reorientação do processo ensino-aprendizagem e o resgate dos conteúdos não assimilados pelo aluno advindo do Ensino Médio, essenciais ao aprendizado acadêmico;
  2. Propiciar a recuperação e o aprimoramento de conhecimentos básicos e imprescindíveis ao prosseguimento dos estudos;

III.         Favorecer o acompanhamento dos componentes curriculares e/ou conteúdos do curso, amenizando as dificuldades dos alunos;

  1. Promover um ambiente de equalização dos saberes considerados pré-requisitos para o prosseguimento de um curso superior;
  2. Promover a inclusão universitária dos alunos com dificuldades em conteúdos básicos;
  3. Propiciar a construção de competências básicas para o domínio da leitura, produção e interpretação de textos, bem como dos conhecimentos matemáticos e da física;

VII.       Promover um trabalho integrado e interdisciplinar entre o programa e a graduação;

VIII.      Provocar uma mudança de atitude do aluno em relação ao seu processo de aprendizagem, considerando a autoaprendizagem como fator essencial para seu desenvolvimento;

  1. Proporcionar interatividade entre docentes e alunos nesse processo de recuperação de conhecimentos;
  2. Promover atividades que estimulem o raciocínio lógico;
  3. Favorecer a acessibilidade pedagógica dos alunos com deficiência ou necessidades educacionais especiais, ofertando apoio pedagógico para seu nivelamento, quando necessário.

Por meio de aulas, plantões, mini cursos nas áreas de matemática, Língua Portuguesa e Química os alunos tem a oportunidade de recuperar a aprendizagem de conteúdos necessários ao seu prosseguimento no Ensino Superior. O Programa Institucional de Nivelamento destina-se, prioritariamente, aos alunos matriculados no 1° ano dos cursos, visando possibilitar ao acadêmico recém-chegado à Instituição, um contato com novas estratégias de atendimento e formato das atividades pedagógicas desenvolvidas para a superação de dificuldades de aprendizagem. O PIN atende também a alunos de outros períodos, a partir da solicitação de docentes e/ou coordenadores, em função de dificuldades específicas em alguma unidade curricular.

O atendimento psicopedagógico está regulamentado e é implementado pelo Núcleo de Acessibilidade e Atendimento Psicopedagógico – NAAP, tendo por objetivos:

  1. auxiliar acadêmicos na integração destes ao contexto universitário, realizando orientações no que se refere à dificuldades no processo ensino-aprendizagem;
  2. realizar pesquisas a partir dos dados coletados nos atendimentos, relacionados à tipologia das dificuldades apresentadas pelos alunos e encaminhar relatórios à Direção de Graduação e Pós-Graduação com a finalidade de desenvolver estratégias de intervenção institucional;

III.         realizar atendimento psicológico emergencial, através de aconselhamento, identificando as urgências subjetivas nas suas diferentes dimensões (profissional, pedagógica, afetivo-relacional e/ou social);

  1. assessorar as Coordenações de Curso e de Ensino, buscando estratégias psicopedagógicas específicas para cada caso, trabalhando de forma interdisciplinar e promovendo a inclusão, tendo em vista a política de acessibilidade do IMEPAC;
  2. acompanhar acadêmicos com deficiência e/ou necessidades educacionais especiais, incluindo aqueles com Transtorno do Espectro Autista (Lei 12.764/2012), visando a sua plena acessibilidade ao Ensino superior e o desenvolvimento das competências e habilidades previstas no perfil do egresso do curso escolhido.

O programa de monitoria do IMEPAC possui regulamento próprio e visa um melhor aparelhamento dos cursos e o aproveitamento dos alunos que apresentam atributos de conhecimento e aptidão para a função.

A Monitoria é um instrumento adotado pela Instituição para propiciar aos alunos de graduação o aperfeiçoamento nas atividades acadêmicas e o incremento de seus conhecimentos acerca do conteúdo da unidade curricular. A função básica do aluno monitor é auxiliar os demais discentes em seus estudos, na realização de trabalhos acadêmicos e colaborar com o docente na preparação de seminários, em aulas práticas e estudos, se for o caso, relacionados com os conteúdos da unidade curricular.

Para a função de monitor de determinada unidade curricular somente poderá ser admitido o aluno regularmente matriculado, As vagas são ofertadas em editais específicos e a demanda para abertura delas é apresentada pelo professor ao coordenador do curso.

Como meio de propiciar o ingresso e a permanência do aluno no IMEPAC Araguari são oferecidos programas de financiamento estudantil como Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior – FIES, o Crédito SICOOB/ARACOOP, bolsas pelo Programa Universidade para Todos – PROUNI e são concedidos descontos no programa Auxílio Parentesco que visa atender alunos do mesmo grupo familiar, no Desconto Social, que visa atender o aluno com dificuldades financeiras, as pessoas com deficiência e idosos e o Convênio Empresa.

O Programa Auxílio Parentesco é um programa que concede desconto na mensalidade, quando há mais de um estudante do mesmo núcleo familiar matriculado na Instituição. O valor deste desconto é para cada membro do grupo familiar, sendo este entendido como o conjunto de pessoas que residem na mesma moradia, possuindo grau de parentesco como: pais, padrasto/madrasta, cônjuges, companheiros, filhos, enteados, irmãos, avós. O Programa Desconto Social visa atender o aluno de situação econômica menos favorecida, aqueles com deficiência e os idosos, pelo site o interessado preenche o formulário específico, anexa comprovante da renda familiar ou da condição de deficiente ou idoso e protocola no Núcleo de Apoio ao Estudante para análise e concessão do desconto.

O Crédito Universitário SICOOB/ARACOOP, funciona como alternativa de pagamento para aqueles que querem ter um diploma de graduação, mas não têm condições de pagar a mensalidade integral. Trata-se de um financiamento onde o aluno parcela o valor das mensalidades do semestre e paga em um prazo maior.

– Instruções Desconto Social 2019-02
– Ficha de Renovação Demais Cursos 2019
– Ficha de Requerimento Medicina – Demais cursos

O IMEPAC conta com setor específico (Núcleo de Relacionamento, Estágios & Carreira – RECAR) que faz o acompanhamento do aluno e a intermediação junto às instituições de forma a ampliar os espaços e possibilidades de estágios remunerados não obrigatórios.

Esse programa obedece ao regulamento próprio aprovado pelo órgão colegiado superior e visa principalmente:

  1. proporcionar o desenvolvimento do aluno para a vida cidadã e para o trabalho;
  2. promover a necessária articulação entre os conhecimentos teóricos e práticos na graduação;

III.         contribuir para a integração entre o ensino e o mundo do trabalho, considerando o desenvolvimento das competências previstas no perfil do egresso;

  1. possibilitar a inserção do aluno no mercado de trabalho da sua área de atuação profissional ainda durante a graduação, possibilitando a construção de networking;
  2. propiciar o aperfeiçoamento das habilidades, atitudes e competências necessárias para a profissionalização;
  3. favorecer a análise dos problemas reais do ambiente profissional, sejam eles técnicos, humanos, etc., desenvolvendo atitude pró ativa na busca de soluções, sob orientação docente;

VII.       estreitar os laços com a comunidade por meio da prestação de serviços nas áreas de atuação da instituição;

VIII.      promover a intermediação e acompanhamento do aluno no estágio supervisionado obrigatório e não obrigatório, por meio de uma orientação e supervisão ativa e eficaz.

Para a o estabelecimento do termo de compromisso de estágio, o aluno deve estar regularmente matriculado. As vagas de estágio são amplamente divulgadas nos meios de comunicação da instituição, sendo que a seleção pode ser feita pela empresa contratante ou, a critério desta, pelo Núcleo de Relacionamento, Estágios & Carreira – RECAR.

O Programa de Iniciação Científica – Pró-IC do IMEPAC integra a Política de Extensão e tem como objetivo principal despertar vocação científica e incentivar talentos potenciais para a ciência entre os estudantes de graduação, visando também incentivar a autonomia, o fortalecimento do ensino, além de favorecer a aprendizagem significativa, de forma que o estudante seja motivado a estabeler a relação entre os conhecimentos acadêmicos e os problemas da vida, buscando e propondo soluções para estes.

Por meio do Pró-IC são concedidas bolsas de iniciação científica para alunos e professores/orientadores, distribuídas segundo normas específicas, tornadas públicas por meio de Edital.

O IMEPAC Araguari mantém convênio com instituições estrangeiras de forma a propiciar aos alunos e professores oportunidades para intercâmbios, como meio de proporcionar contato com outras culturas e educação, ampliando sua formação.

Os professores visitantes, oriundos das IES conveniadas, ministram workshops, seminários, congressos, palestras, aulas etc o que é proporcionando também aos nossos docentes quando de visitas. Aos alunos participantes dos programas são proporcionadas experiências acadêmicas e culturais diversas na instituição visitada.

O IMEPAC mantém convênio com as seguintes instituições:

  1. State University New York – SUNY, campus da cidade de Buffalo – UB – nos Estados Unidos, convênio para realização de visitas técnicas, recebemos e enviamos comitivas de intercambistas uma vez por ano;
  2. Universidade de Coimbra – UC, uma das universidades mais renomadas da Europa, por meio do qual receberemos estudantes e professores daquela instituição e, da mesma forma, formamos grupos do IMEPAC para atividades naquela instituição; e

III.         Instituto Superior de Ciências e Tecnologia Alberto Chipande, de Moçambique, na África, o objetivo além das visitas técnicas é proporcionar troca de experiências entre alunos e docentes das instituições.

A Ouvidoria do IMEPAC Araguari é um órgão de natureza mediadora, sem caráter administrativo, deliberativo, executivo ou judiciário.

A Ouvidoria exerce suas funções diretamente junto à Faculdade e seus setores, sendo um canal de comunicação direto, aberto e democrático entre a comunidade acadêmica e o público em geral com a Reitoria e os demais setores da Instituição.

São objetivos da Ouvidoria:

  1. estreitar as relações entre docentes, acadêmicos, funcionários e comunidade em geral, orientando, instruindo, acompanhando e agilizando o recebimento das mais variadas manifestações, sejam críticas, reclamações, sugestões ou elogios;
  2. promover uma comunicação direta, aberta e democrática entre comunidade acadêmica, Reitoria e demais setores da Faculdade;

III.         organizar os mecanismos de acesso dos interessados à ouvidoria, fazendo uma relação informal e acolhedora;

  1. contribuir para a resolução de problemas administrativos ou acadêmicos, oferecendo alternativas;
  2. garantir o sigilo quanto à autoria da manifestação quando expressamente solicitado ou quando tal providência se fizer necessária;
  3. manter o registro, classificação e sistematização das ocorrências, incidentes e soluções de problemas trazidos à sua consideração;

VII.       cuidar para que todo atendimento tenha o devido retorno aos interessados; e

VIII.      garantir a transparência nos processos institucionais.

A Ouvidoria atua no sentido de levar os processos registrados aos setores competentes, garantindo avaliações e respostas adequadas aos casos apresentados. Para isso, a Ouvidoria trata as informações recebidas de forma segura, transparente e eficaz, baseando-se no sigilo e na preservação da identidade dos participantes, quando assim o desejarem.

É dever da Ouvidoria acompanhar as solicitações até sua solução final, em busca de uma permanente qualificação dos processos, sendo assim uma ferramenta para agilizar o atendimento e garantir transparência e valorização dos princípios éticos, defendidos pela Faculdade.

(Clique aqui para acessar a ouvidoria)

O Diretório Acadêmico é o órgão de representação estudantil na Faculdade. A composição, as atribuições, a organização e o funcionamento do diretório acadêmico são fixados nos ordenamentos próprios, elaborados, aprovados e levados a registro civil pelos alunos.

Ao Diretório Acadêmico cabe indicar o representante do curso respectivo para concorrer à vaga da categoria nos Órgãos Colegiados da Faculdade. O mandato de representante estudantil junto aos órgãos colegiados da Faculdade é de 1 (um) ano, permitida 1 (uma) recondução.

A suspensão da condição de aluno regular, pela conclusão do curso, por não renovação da matrícula, por cancelamento, trancamento, desligamento ou abandono do curso, implica a cessação automática do mandato, cabendo nova votação entre os representantes indicados de cada curso.

No Regimento constam normas gerais para o funcionamento dos órgãos de representação estudantil que contam com o apoio da Faculdade, inclusive com a cessão de espaço para o seu funcionamento.

O Corpo Discente tem direito a voz e voto no Conselho Universitário, no Colegiado de Curso e na Comissão Própria de Avaliação – CPA da Faculdade. A representação discente tem por objetivo promover a cooperação entre administradores, professores e alunos no trabalho acadêmico e no aprimoramento do processo educacional-formativo, de que são os alunos beneficiários diretos.

Além dos Diretórios Acadêmicos, os alunos dos diversos cursos se organizam também por meio de suas Atléticas e Ligas.

O IMEPAC garante e incentiva a participação discente nas decisões da Faculdade por meio de seus órgãos colegiados e comissões, entre eles o Comitê de Gestão, o Colegiado dos Cursos e a Comissão Própria de Avaliação – CPA.

O funcionamento da Faculdade está alicerçado numa gestão participativa e democrática por meio desses órgãos, nos quais está prevista a participação efetiva do seu corpo discente.